Começando a andar de bicicleta em Curitiba

Arte de Valdinei Calvento do blog http://igualvoce.wordpress.com/

Em minhas pedaladas por Curitiba, tanto para o trabalho quanto para faculdade, tenho percebido um aumento significativo de ciclistas pelas ruas. Não disponho de estatísticas ou dados oficiais, trata-se apenas de uma constatação empírica.

E não é para menos. Os constantes e ordinários congestionamentos em que se transformaram as ruas de Curitiba e os lotadíssimos ônibus de um transporte coletivo caro, que um dia já foi modelo e que nos últimos anos perdeu mais de 30% de seus usuários, fazem com que o cidadão busque outras formas de andorinhar pela cidade. Muitos querem fugir, ou dos congestionamentos, ou dos ônibus lotados e a bicicleta pode ser uma excelente alternativa, mas…

Como faço? Por onde começar? Que bicicleta eu compro? É perigoso. Eu transpiro muito. No meu trabalho não tem bicicletário…

Para cada uma dessas questões, que num primeiro momento soam como intransponíveis dificuldades, existem sim respostas e alternativas – isto se a pessoa realmente for de atitude e queira, de fato, operar uma pequena, porém significativa, mudança em sua vida. Óbvio, existem as exceções: distâncias continentais, trajetos complicadíssimos, agudo senso de comodidade, entre outros insuperáveis poréns.

Então vamos aqui conversar sobre todas estas questões no intuito de contribuir para a expansão da fauna ciclística curitibana, de modo que brotem tantos pedalantes sobre o asfalto, quanto um dia já brotou araucárias sob o solo desta fecunda capital.

Arte de Valdinei Calvento do blog http://igualvoce.wordpress.com/

Distância:

A uma velocidade média de 15 km/h – coisa que qualquer criança de 8 a 80 anos consegue desempenhar sem sofrimento-, distâncias de até 10 km são ideais para se pedalar. Quer dizer que, com não mais que 50 minutos você consegue atingir seu destino. Se nas subidas a velocidade cai para 12, 10 ou 8 km/h, não tem problema, na descida correspondente a velocidade será de 25, 30 ou até 40 km/h, o que garantirá a média horária acima prevista.

Para não cansar demais – os ainda leitores que, entusiasticamente logo serão ciclistas -, amanhã continuamos a conversa, tratando das demais questões, é só voltar domani.

Comentários

Comentários

Powered by Facebook Comments

Este QR-Code permite acessar o artigo pelo celular. QR Code for Começando a andar de bicicleta em Curitiba